Implantes

O que é Implantodontia?

O implante é um pino de titânio que se integra ao osso. Funciona como fixação para diferentes tipos de próteses dentárias: de um único dente, de vários dentes ou até mesmo de todos os dentes.

Benefícios:

Os implantes possibilitam o desempenho das funções da forma mais semelhante possível ao dos dentes naturais:

  • Devolvem a integridade estética;
  • Substituem as raízes dos dentes, para reposição dos dentes perdidos;
  • Fornecem melhor estabilidade das próteses (totais ou removíveis);
  • Tornam desnecessário o desgaste dos dentes vizinhos para reabilitação por prótese fixa;
  • Podem retardar o processo de reabsorção do tecido ósseo alveolar;
  • Ancoram, se necessário, dispositivos para a execução de tratamentos ortodônticos.

Riscos por falta de tratamento

Se os dentes perdidos não forem repostos, há uma série de problemas potenciais, entre os quais:

  • Desequilíbrio dos dentes e das articulações temporomandibulares;
  • Mudança da posição de equilíbrio dos dentes;
  • Modificação na mordida;
  • Perda de eficiência na mastigação;
  • Alterações e desconforto na função das articulações.

Tratamentos relacionados

  • Implantes;
  • Enxertos;
  • Protocolos.

Perguntas Frequentes

Qualquer paciente pode receber implantes?

Todos os pacientes em bom estado de saúde geral (que não apresentem doenças de ordem médica) podem receber implantes dentários, mas, como em qualquer cirurgia bucal, uma adequada avaliação é essencial antes do procedimento.

É preciso fazer algum tratamento prévio?

Deve-se eliminar qualquer processo infeccioso preexistente na cavidade oral (doença periodontal, dentes para tratamento de canal ou extração e restaurações com cáries). Todos esses aspectos fazem parte de um planejamento realizado pelo profissional, que deve discuti-lo abertamente com o(a) paciente antes do início do tratamento.

Quanto tempo demora o procedimento e o tratamento?

Para substituição de um único dente, o procedimento cirúrgico leva em média 90 minutos. Já em casos de reabilitação total em pacientes com problemas funcionais, o procedimento pode durar três horas ou mais e, após a colocação, os implantes, em média, devem permanecer em repouso por três a seis meses para ocorrer o fenômeno biológico da osseointegração (união direta do titânio ao osso), após o que os implantes são descobertos e próteses dentárias, conectadas a eles.

Quando houver necessidade de enxerto ósseo, o tratamento ficará inevitavelmente mais longo, mas, em alguns casos, a prótese poderá ser instalada já no dia da cirurgia de implantação (carga imediata).

Poderei sentir algum desconforto ou dificuldade de adaptação?

Por se tratar de uma nova estrutura na boca, pode haver um pouco de desconforto após a instalação da prótese (dente artificial), porém isso será superado em razão do suporte e da assistência da equipe odontológica durante o período de adaptação bem como a colaboração do paciente em usar a prótese e seguir criteriosamente as orientações.

Como manter o resultado conseguido?

Os implantes, assim como os dentes e gengivas, devem ser muito bem limpos, com os dispositivos recomendados pelo cirurgião-dentista (fio dental e escova) para conservação da sua saúde bucal. Também é importante o comparecimento regular do(a) paciente às consultas de manutenção para prevenir ou diagnosticar precocemente qualquer alteração.

Há riscos no procedimento?

A cirurgia, por ser amplamente planejada e controlada, é bastante segura. Mas, como em qualquer intervenção cirúrgica, sempre existe a possibilidade de haver edemas (inchaços), hematomas (manchas roxas), hemorragias, paresias (perda temporária ou permanente da sensibilidade). Além disso, 2 a 3% dos casos podem apresenta algum problema no processo de osseointegração. A principal complicação biológica é o peri-implantite (doença que acomete o osso e a gengiva ao redor do implante) e, entre as biomecânicas, a mais frequente é o afrouxamento dos pequenos parafusos que prendem as próteses.

 

Cuidados importantes

Pré-Operatórios

É essencial que o ambiente bucal esteja livre de focos de infecção antes, durante e após os implantes. Por esse motivo, tratamentos como o periodontal (gengiva), o endodôntico (canal) ou a extração de dentes com foco de infecção devem ser feitos antes.

É preciso também haver quantidade e qualidade adequadas de osso para a colocação dos implantes.

Durante o tratamento

Enquanto se aguarda a osseointegração e a confecção da prótese definitiva, sempre que possível, uma prótese temporária é colocada no(a) paciente que, por isso, deve redobrar os cuidados durante esta fase e evitar, por exemplo, alimentos muito duros ou pegajosos (caramelos, gomas de mascar, etc.).

Após o tratamento

É imprescindível sempre limpar muito bem os implantes, assim como os dentes e as gengivas, com os dispositivos recomendados pelo cirurgião-dentista: fio dental, escova e, muitas vezes, passa–fio e escova interdental, para conservar sua saúde bucal. Também é importante o comparecimento regular do(a) paciente às consultas de manutenção para prevenir ou diagnosticar precocemente qualquer alteração.